Suplementação e fitoterapia: quando, como e com quem?

Enquanto nutricionista, você tem que atender uma grande variedade de pessoas, e sabe que cada paciente precisa de um tipo de acompanhamento personalizado. O mesmo acontece com os planos alimentares: um nutricionista não pode simplesmente passar o mesmo plano para todo o mundo, mas tem de adaptar aos gostos de cada paciente, às suas necessidades, e aos seus objetivos.

Mas, por vezes, o plano alimentar tem que ser acompanhado por um outro tipo de produto, para complementar. Se um paciente sofrer de carência de algum nutriente ou tiver alguma condição mais específica, você pode querer recomendar suplementos ou fitoterápicos.

Por que usar suplementos e fitoterápicos?

Nos últimos anos a adoção da suplementação e da fitoterapia como um complemento ao plano alimentar tem sido bastante recorrente devido ao aumento do conhecimento sobre as indicações e benefícios de cada um deles.

Com os avanços da ciência e da tecnologia, é cada vez mais fácil identificar sinais e sintomas do cliente, a deficiência de algum nutriente e até a dificuldade de absorção. Além disso, em algumas situações específicas, como no caso de atletas ou de determinadas patologias, as necessidades são aumentadas e para isso recursos como suplementos e até fitoterápicos podem ser utilizados para complementar a dietoterapia.

O uso desses complementos podem ser parte fundamental da estratégia elaborada pelo profissional para garantir o bem estar e saúde do indivíduo. É importante que o conjunto de plano alimentar e associação a suplementos e fitoterápicos seja realizada por um profissional da área de nutrição e que seja elaborado respeitando as individualidades de cada um.

Suplementos

Sempre em busca de sucesso no tratamento e maior adesão do paciente, a individualização do tratamento é uma estratégia eficaz e baseada em evidências científicas, que irá contribuir para que este seja realizado com aceitação e otimizado nas tecnologias mais modernas.

Quando um paciente percebe que está sendo tratado de maneira única e personalizada, sua credibilidade e confiança aumentam e com isso os objetivos são alcançados com mais facilidade.

Mesmo com uma alimentação equilibrada, vários fatores podem influenciar na absorção dos nutrientes ingeridos e até mesmo nos nutrientes que estavam presentes no alimento.

Pensando no processo de digestão,fatores internos como os hábitos de vida, uso de medicamentos, abuso de álcool ou outras drogas, e ser ou não fumante influenciam no processo de absorção. Enquanto que fatores externos, como o solo em que o alimento foi cultivado, utilização de agrotóxicos, processamento que o alimento passou e até mesmo o preparo do alimento vão influenciar na quantidade dos nutrientes que estarão presentes.

Um exemplo simples é que, quando cozinhamos em grande quantidade de água, os nutrientes hidrossolúveis como as vitaminas do complexo B e a vitamina C são diminuídos.

Por isso que a suplementação individualizada é uma estratégia eficaz para que os nutrientes que se encontram em falta no organismo e que não conseguem ser atingidos exclusivamente através da alimentação sejam garantidos, permitindo assim a prevenção de doenças, melhoria do sistema imunológico, modulação dos níveis de estresse e mais energia e disposição.

A prescrição por nutricionistas é regulamentada pela Resolução do Conselho Federal de Nutrição (Resolução CFN 390/06) respeitando a ingestão diária recomendada (IDR) de vitaminas e minerais e na falta deles, considerando os limites da ingestão diária sem causar efeitos adversos a maioria das pessoas (UL). A recomendação deve ser sempre realizada com base no diagnóstico nutricional e considerando os estados fisiológicos, patológicos e de desordens metabólicas.

Fitoterápicos

Este ano, o Conselho Federal de Nutrição publicou uma resolução que regulamenta a prática da fitoterapia por nutricionistas (Resolução CFN 688/21).

Para tal prática, é de responsabilidade do profissional o conhecimento necessário baseado em evidência científica e considerando os critérios de eficácia e segurança para a sua prática. Quando bem aplicada, e aliada a dietoterapia, a fitoterapia pode proporcionar melhoras significativas nos diversos sinais e sintomas relatados.

Reunimos alguns dos fitoterápicos que estão disponíveis no Nutrium para apresentar as suas principais indicações e também as contra-indicações de cada um deles.

Chá verde (Camellia sinensis)

Devido a sua ação antioxidante e diurética é um dos fitoterápicos mais prescritos pelos nutricionistas.

Erva-cidreira (Melissa officinalis)

Conhecido por sua atividade antiespasmótica, auxilia no controle de ansiedade e insônias leves. Pode auxiliar no processo de perda de peso devido a sua ação tranquilizadora e consequentemente uma menor compulsão. Além disso, tem ação no sistema digestivo agindo no combate à flatulência. Algumas formulações são contra indicadas para gestantes, lactantes e menores de 12 anos.

Ginseng (Panax ginseng)

Indicado para situações de fadiga física ou mental pois é um estimulante do sistema nervoso, contribuindo também para o aumento do apetite. Não é indicado para gestantes, indivíduos com pressão arterial sanguínea elevada e indivíduos que realizam terapia com anticoagulantes.

Espinheira santa (Maytenus ilicifolia)

Uso bastante comum no que diz respeito ao tratamento de distúrbios gástricos como dispepsia, azia e gastrite. As funções flavônicas da planta exercem função gastroprotetora. É contra indicado para grávidas, lactantes e crianças com menos de 6 anos.

Cáscara sagrada (Rhamnus purshiana)

Utilizado em casos de constipação intestinal eventual. Não deve ser utilizado em casos de obstrução intestinal, inflamação intestinal aguda, em indivíduos gestantes, lactantes e menores de 12 anos.

Guaçatonga (Casearia sylvestris)

Também é utilizado para controle dos sintomas gastrointestinais. Possui ação cicatrizante da mucosa gástrica, por isso é tradicionalmente usado em caso de inflamação e úlcera. Não deve ser utilizado durante a gravidez e lactação.

Dente de leão (Taraxacum officinale)

Possui ação antioxidante, diurética e também pode ser utilizado como estimulante do apetite. Não deve ser utilizado por pessoas com obstrução das vias biliares e do trato intestinal.

Cúrcuma (Curcuma zedoaria)

Tem ação antiinflamatória e antioxidante.

Como identificado em vários dos fitoterápicos acima, eles apresentam contra-indicações e por isso é importante que o profissional tenha o conhecimento necessário para realizar a prática da fitoterapia.


Prescrição de suplementos e fitoterápicos no Nutrium

A prescrição de suplementos e fitoterápicos é uma funcionalidade bastante pedida pelos nossos nutricionistas brasileiros, e como o Nutrium se preocupa com as necessidades dos profissionais, trabalhamos muito para lançar essa nova funcionalidade. Agora o Nutrium está ainda mais completo para que você consiga fazer tudo no software.

Você pode saber tudo sobre essa nova funcionalidade no nosso artigo no Help Center. Aqui, pode ficar sabendo como encontrar os suplementos e fitoterápicos no software, como prescrever aos seus clientes, e como guardar a informação e enviar aos seus clientes.


Gostou dessa novidade?

A opinião dos nossos clientes é o que nos faz evoluir, por isso estamos sempre interessados em ouvir feedback dos nossos utilizadores! Se você tiver algum comentário ou sugestão para a nossa equipe, pode enviar um e-mail para info@nutrium.com!

Se você ainda não conhece o Nutrium, pode testar gratuitamente durante 14 dias. Experimente já!